Loading Player...


Você está ouvindo uma transmissão ao vivo ...
OUÇA EM OUTROS DISPOSITIVOS:
OR Choose your mobile to Tune-In

VEREADORA CRITICA CRIAÇÃO DE MAIS 45 CARGOS COMISSIONADOS APÓS REALIZAÇÃO DE CONCURSO

Vereadora-Elizangela-Albano

ASSÚ – Incluído num pacote de medidas remetido pelo prefeito Ivan Júnior (PROS) para deliberação da Câmara Municipal, antes do início do 1º período ordinário, dia 3 de março próximo, o projeto de lei que propõe autorização do Legislativo para a criação de 45 cargos comissionados na prefeitura foi criticado pela única voz de oposição na Casa: a vereadora Elizângela Albano, “Ely da Saúde” (PSD).

A legisladora considerou um contrassenso da gestão propor a criação e incorporação de novos cargos em comissão na estrutura administrativa. Lembrou que no final de 2014 a prefeitura promoveu um concurso e estes postos poderiam ter sido indicados no certame para preenchimento mediante a seleção pública.

“Temos informação que nem todos os aprovados no concurso foram chamados e a prefeitura já quer criar mais cargos?”, indagou.

“Ely da Saúde” revelou que, em deliberação anterior, já neste mês, mensagem do prefeito Ivan Júnior mereceu aprovação, criando 77 cargos públicos na máquina administrativa municipal do Assú. Agora, a administração propõe a materialização de mais 45 postos de trabalho. “Acho nada mais justo que haja uma explicação [do Executivo]”, registrou a parlamentar-mirim. “Acho que a prefeitura deveria primeira chamar os concursados”, completou.

Parlamentar defende convocação de concursados

A vereadora Elizângela Albano, “Ely da Saúde” (PSD), considera um direito da população, e precisamente dos que foram aprovados no concurso público, saber o porquê da criação de mais cargos comissionados se nem todos os classificados no certame foram chamados ao trabalho.

“É preciso uma explicação para repassar para a população, já eles [os vereadores governistas] estão preocupados em representar o prefeito e eu não, estou preocupada aqui em representar a população”, disse.

Membro da base governista, o vereador em exercício Sérgio Rocha (PSL) não enxerga qualquer razão para polemizar em torno da matéria.

“Vejo com bastante normalidade essas matérias que chegam. Como você sabe, todo início de ano isso acontece dentro do quadro organizacional da Prefeitura Municipal do Assú”, destacou o vereador da base de sustentação do prefeito Ivan Júnior, constituída por 14 dos 15 integrantes do parlamento municipal.

Fonte: O Mossoroense

Publicidade:
Pedrinho II