Loading Player...


Você está ouvindo uma transmissão ao vivo ...
OUÇA EM OUTROS DISPOSITIVOS:
OR Choose your mobile to Tune-In

FÁTIMA BEZERRA: NOTA DE PEAAR

NOTA DE PESAR

O Rio Grande do Norte perde um dos seus grandes filhos. O jornalista Agnelo Alves, como gostava de ser chamado, foi um homem de princípios democráticos, disposição para o diálogo e notável espírito público.

Deixa uma biografia admirável: enfrentou a ditadura militar e, numa fase crucial para o país, se somou à luta em favor da democracia. Cumpriu seu dever de homem público até o fim.

Como ex-senador, deputado e prefeito se mostrou um atuante homem público, de imenso amor pelo seu povo e sua terra.

Deixo meus votos de pesar à sua esposa, dona Celina, aos filhos Carlos Eduardo, Agnelinho e José Luiz Alves, demais familiares e amigos.

Publicidade:

PRESIDENTE ESTADUAL DO PR LAMENTA MORTE DE AGNELO

O presidente estadual do PR, ex-deputado federal João Maia lamentou a morte do deputado estadual, jornalista Agnelo Alves. Em seu twitter, João Maia escreveu:

 “Agnelo viveu ativamente e contou, com sua inteligência a história política do RN nas últimas décadas. Manterei comigo a lembrança das longas conversas que tivemos quando do meu retorno ao Estado. A Dona Celina e aos seus filhos meu abraço solidário”.

Publicidade:
Ddentista II

AGNELO ALVES: “UM RADICAL” SOLIDÁRIO

Para os adversários políticos de antigamente, um radical; para os amigos de sempre uma pessoa solidária, emotiva, de bem com a vida. Em julho de 2007, Agnelo estava preocupado com o estado de saúde do amigo Nélio Dias, deputado federal que o ajudou a se eleger pefeito com votos em Parnamirim e de quem recebeu emendas parlamentares para melhorar a infraestrutura da cidade.

No gabinete da prefeitura, ele pegou o celular e fez uma ligação para o hospital Sírio-Libanês, em São Paulo. Fazia isso desde que o parlamentar, presidente do PP no Rio Grande do Norte, fora internado, após uma parada cardíaca, quando fazia tratamento de radioterapia contra um câncer no pulmão. Naquele dia ele desligou o telefone pensativo, preocupado. O estado de saúde de Nélio tinha se agravado, os médicos já não davam esperança de que ele pudesse sair do coma induzido.

Logo depois Agnelo manda entrar algumas pessoas que estavam na antessala, aguardando a vez para serem recebidas. Era uma conversa de fim de expediente. Uma delas começou a lembrar episódios protagonizados pelo ex-ministro Aluízio Alves. Histórias como a da vez que Aluízio deu R$ 50 a um flanelinha que trabalhava na Ribeira e veio pedir “as festas de natal” para comemorar com a mulher e a filha, que nascera meses antes. Ou a bronca que AA deu na equipe da TV, nos primórdios da Cabugi, depois de assistir a uma reportagem sobre o leilão de carros usados do governo do Estado. E o motivo da bronca? Numa “passagem” a repórter disse que o lote mais valioso era um Galaxie, “com ar-condicionado”, um luxo na época, usado pelo governador Geraldo Melo.

Agnelo tentava disfarçar, mas lágrimas escorriam na face. Fazia pouco mais de um ano da morte de Aluízio. Agnelo nunca se conformou com a morte do irmão. O interlocutor percebeu e encerrou a conversa. Apontando para o chefe de gabinete, o prefeito pediu que ele fizesse um relato sobre o cronograma das obras de urbanização da Mahatma Ghandi, onde as águas abriram uma grande voçoroca, ameaçando as casas construídas no local. A prefeitura tinha o dinheiro, mas não conseguia vencer as barreiras ambientais. E isso o deixava indignado. Nélio morreu dias depois. Agnelo o homenageou. Na Esplanada Deputado Nélio Dias existe hoje um busto do parlamentar.

Lacerdismo

Afastado das brincadeiras e da escola quando menino, perseguido quando começava a despontar para a carreira política, agindo como fugitivo durante a ditadura militar, sofrido com as mortes trágica dos irmãos Expedito Alves (assassinado em Angicos) e José Gobat (vítima de um acidente provocado por um motorista embriagado), Agnelo tinha tudo para ser uma pessoa amargurada. Ao contrário. Era alto astral. Dava gargalhadas ouvindo as histórias que tinha como personagem o jornalista Osni Damásio, especialmente o episódio “O Rei de Jucurutu”, que não cansava de ouvir, nem de rir.

Na TV Cabugi foi apresentador do Bom Dia RN, atropelando o Padrão Global, que na época exigia pessoas de boa aparência, com dicção perfeita, sem envolvimento com grupos políticos. No início, todos pensavam que Agnelo seria um pé no freio na filosofia “veículo plural” que o superintendente Francisco Alves e o diretor de Redação, Antônio Melo, começavam a implantar. Vez por outra sugeria, mas nunca vetou nenhum entrevistado.

Era jornalista 24 horas por dia e político 365 dias por ano. Quando estava entediado, entrava no carro e saía vagando pela cidade. Tirava do porta-luvas um CD com o discurso de Carlos Lacerda, proferido na Comissão de Constituição e Justiça da Câmara dos Deputados em 1957. Agnelo ficava encantado como se estivesse ouvindo pela primeira vez. Gostava do trecho em que Lacerda, com voz firme, citava as manobras da alcateia enfurecida para cassá-lo: “Venho a esta comissão como testemunha de um tempo de subversão de valores, na qual – como na sátira de George Orwell -, fala-se em liberdade para matá-la, em democracia para destruí-la, em legalidade para negá-la na sua própria essência.”

O nome do filho do meio, Carlos Eduardo, é uma homenagem a dois políticos que ele cultuava: Carlos Lacerda e Eduardo Gomes.

Fonte: TN

REGIStrando

Publicidade:
Leila Cabeleleira II

RN DE LUTO: MORRE AGNELO ALVES

52004

Agnelo Alves nasceu na cidade de Ceará Mirim/RN, estudou no colégio Marista em Natal, quando foi surpreendido por problemas de saúde que lhe abstraíram a oportunidade de continuar frequentando os bancos escolares, dedicando-se a leitura para compensar a falta da escola, Agnelo resolveu ajudar seu irmão, Aluízio Alves, no Jornal Tribuna do Norte, onde tornou-se Jornalista Profissional.

Em 1955, exerceu seu primeiro cargo público, convidado pelo Dr. Reginaldo Fernandes – Diretor do Serviço Nacional de Tuberculose, para ser seu Chefe de Gabinete, no Rio de Janeiro. Ainda na cidade maravilhosa, trabalhou em fases diferentes como Jornalista na Tribuna da Imprensa, Diário Carioca, Jornal do Brasil e Diário de Pernambuco. Do Rio de Janeiro, Agnelo voltou para Natal com o objetivo de colaborar na campanha para Governador do seu irmão Aluízio Alves. Após a eleição vitoriosa, o jornalista Agnelo Alves recebeu um convite do presidente da República, Jânio Quadros, para trabalhar na sua Assessoria de imprensa juntamente com seus amigos Carlos Castelo Branco e José Aparecido de Oliveira que foi convidado para chefiar a equipe.

Agnelo já estava de mudança, quando recebeu um telegrama do amigo Manoel de Medeiros Brito, apelando para que ele aceitasse a Chefia do Gabinete Civil do Governo do Estado como forma de pacificar uma disputa política entre os deputados Aluízio Bezerra e Grimaldi Ribeiro que pleiteavam o cargo. No Governo de Aluízio Alves, desempenhou várias funções. Como presidente da FUNDHAP, implantou o projeto da Cidade da Esperança, primeira experiência em habitação popular no Brasil.

Em 1965, Agnelo Alves aceitou ser o candidato do Governo à Prefeitura de Natal, substituindo ao seu amigo Erivam França, que, por motivos pessoais, desistiu de ser candidato. Vitorioso nas urnas enfrentou adversários que desejavam exterminar a liderança de Aluizio e da família Alves, que passou a sofrer uma onda de perseguição, culminando com a cassação dos irmãos Aluízio, depois Garibaldi e por último Agnelo (então prefeito de Natal). Cassado, preso e torturado psicologicamente pelo regime militar, respondeu a 17 inquéritos, sendo absolvido em todos. Durante este período usou todas as artimanhas para sobreviver politicamente. Assumiu a presidência do Conselho Deliberativo do ABC, usou pseudônimo para escrever na Tribuna do Norte, onde exercia funções de redator, editor etc…

Como jornalista, teve participação efetiva ao lado do irmão Aluízio Alves na campanha das “Diretas Já”, e depois na campanha de Tancredo Neves à Presidência da República. Com o retorno do Brasil ao regime democrático, foi convidado pelo Presidente José Sarney para assumir a Diretoria de Crédito Geral do BNB, assumindo, em seguida, a Presidência do Banco até maio/90, por apelo da ministra da Fazenda Zélia Cardoso de Melo.

EM 1998, Fernando Bezerra, candidato ao Senado, convidou-o para ser seu suplente. Com a posse de Fernando no Ministério da Integração Nacional, Agnelo Alves assumiu o Senado Federal.

Convocado pelos amigos de Parnamirim, aceitou ser candidato de oposição à Prefeitura daquela cidade, vencendo o pleito com uma consagradora maioria de 12.103 votos. Para espanto dos seus pares no Senado, renunciou ao mandato e assumiu a Prefeitura de Parnamirim, realizando uma administração moderna e eficaz que recebeu, em 2004, o reconhecimento do seu trabalho com uma maioria ainda mais expressiva desta vez: 33.532 votos. Repetiu o mesmo estilo de administração encerrando seu mandato com popularidade de 92% de aprovação como administrador do município, conseguindo eleger seu sucessor Maurício Marques.

A consagração recebida dos Parnamirinenses estimulou Agnelo Alves a pleitear um mandato de Deputado Estadual, onde foi eleito pelo PDT.

No campo literário, escreveu dois livros: “Crônicas de Outros Tempos e Circunstâncias”, e o segundo apresentando sua experiência administrativa:  “Parnamirim e Eu”.

Atividades Parlamentares:

Segundo mandato como Deputado Estadual

Partido:
Partido Democrático Trabalhista

Data de Nascimento:
16/07/1932

Grau de Escolaridade:
Ensino superior completo

Telefone de Contato:
(84) 3232-8383

E-mail:
agneloalves@rn.gov.br

Fonte de pesquisa: ALRN

REGIStrando

Publicidade:

DINARTE DINIZ PARTICIPOU DO REGISTRANDO COMO ÚNICO REPRESENTANTE QUE ACEITOU O CONVITE DA PRODUÇÃO DO PROGRAMA (ÁUDIO)

Publicidade:

CARNAUBAIS: CRESCIMENTO DA CAMPANHA DE DINARTE E KEIDE IMPRESSIONA GOVERNADOR ROBINSON FARIA

9a4f05ef8ad74ca711fff699313cd734.jpg

D0A1B2EA-F123-48B9-AFA8-E00036FE3DA7-export.jpg

cd57b8ce162cd6e47390f0557e2695a4.jpg

62ccc53778abe0b120d687db2039eadb.jpg

b2a3658d5a22a76b31e27f917bd4053f.jpg

image3.jpeg

A maior movimentação política registrada em Carnaubais nesse pleito, se deu ontem (20), quando o governador Robinson Faria ao chegar ao município e viu a multidão que o esperava resolveu caminhar ao lado do povo com Dinarte e Keide na grande passeata da mudança que se tornou apoteótica no comício que emocionou todos os presentes configurando a certeza da consagradora vitória da oposição em 05 de julho.

REGIStrando

Publicidade:
Leila Cabeleleira II

GEORGE SOARES PARTICIPA DA INAUGURAÇÃO DE EMPREENDIMENTO HABITACIONAL NA ZONA RURAL DE ASSÚ

IMG_1568.JPG

A organização não governamental com sede na cidade de Assú, Instituto de Desenvolvimento Habitacional Canaã (IDEHAC) inaugurou, neste sábado (20), o empreendimento habitacional Olho D’Água, que entregou 43 residências construídas com financiamento do governo federal através do Programa Minha Casa Minha Vida Rural (Programa Nacional de Habitação Rural-PNHR).

O deputado estadual George Soares (PR) foi convidado e esteve presente na inauguração onde participou do grande culto de gratidão a Deus que reuniu todos os beneficiados na comunidade rural de Olho D’Água Piató.

Assessoria de Imprensa do Deputado Estadual George Soares

Publicidade:

GOVERNADOR CAMINHA AO LADO DO POVO DE CARNAUBAIS EM APOIO A DINARTE E KEIDE

“Dinarte, eu quero ser O GOVERNADOR DE CARNAUBAIS em todas as horas. Povo querido, conte com Robson Farias”, disse o chefe do executivo estadual.

Carnaubais em Foco

Publicidade:
Senhorinha II

GEORGE SOARES PARTICIPA DE CONVENÇÃO DO PR DE AREIA BRANCA

IMG_1551.JPG

Dentro do projeto de renovação e de fortalecimento do PR no Rio Grande do Norte, o vice-presidente do partido no estado e deputado estadual, George Soares, participou da convenção municipal do Partido da República- PR, na cidade de Areia Branca, região da Costa Branca do Estado.

Na cerimônia, tomou posse o novo presidente da legenda no município, o vereador Duarte Junior. O deputado George prestigiou a ocasião ao lado da deputada federal Zenaide Maia (PR) e do presidente do PR no Estado, João Maia, além de demais lideranças políticas da região.

Assessoria de Imprensa do Deputado Estadual George Soares

Publicidade:
Dra Isabela

PARTICIPAÇÃO DE DINARTE NO REGISTRANDO FOI DE ACORDO COM AS REGRAS PROPOSTAS PELA PRODUÇÃO DO PROGRAMA

programa

Sem tirar nem pôr do que foi convencionado com a justiça eleitoral, a produção do programa manteve as regras pré estabelecidas com a aquiescência da justiça eleitoral e comunicada as coligação que disputarão o pleito do próximo cinco de julho em Carnaubais.

O único candidato presente usou rigorosamente os 25 minutos estabelecidos pela produção do programa, respondendo a quatro perguntas temáticas e usando o resto do tempo que lhe cabia para considerações finais.

O tempo usado não ultrapassou um segundo sequer do que foi acordado, sendo cronometrado e o candidato presente alertado durante o programa para o tempo que lhe foi oferecido.

Mais uma vez, numa demonstração de conceito respeitado pelos ouvintes há 18 anos, o programa cumpriu a sua função de bem informar, sem tomar partido durante a audição do programa de hoje (20), deixando claro que as observações elencadas pela coligação que não compareceu ao evento não passaram de especulações infundadas.

José Regis de Souza

REGIStrando

Publicidade:
JC Contabil II