Loading Player...


Você está ouvindo uma transmissão ao vivo ...
OUÇA EM OUTROS DISPOSITIVOS:
OR Choose your mobile to Tune-In

Gustavo Carvalho chama atenção para aumento de casos de calazar em Patu

O deputado estadual Gustavo Carvalho (PSDB) chamou a atenção para o elevado número de registros de casos de calazar em animais e crianças no município de Patu. Em pronunciamento na sessão plenária desta terça-feira (31), na Assembleia Legislativa, o parlamentar fez o registro e solicitou medidas por parte da Secretaria Estadual de Saúde Pública do RN (Sesap) para controlar o aumento de casos na cidade.

“Dados apontam que a cidade de Patu possui uma grande quantidade de cães de rua e domésticos. São mais de 2.400 animais e boa parte deles podem estar infectados pelo mosquito transmissor do calazar. A morte de uma criança diagnosticada com a doença em cidade do interior da Paraíba fez aumentar o alerta da população”, disse o parlamentar.

Gustavo Carvalho solicita medidas enérgicas e emergenciais por parte da Sesap, como o envio de carro fumacê para pulverizar o veneno que elimina o mosquito transmissor nas varias regiões do município, ajudando no controle da doença. “Estou cobrando um olhar diferenciado para Patu e para esse surto que hoje aflige toda a população, na sede do município e nos seus distritos”, finalizou.

Kelps sugere parceria com a Igreja em ações de combate à violência

Dados do 11° anuário do Fórum Brasileiro de Segurança Pública apontam que o Rio Grande do Norte tem a segunda maior taxa de assassinatos do país. Os números chamam a atenção do deputado Kelps Lima (Solidariedade) que sugeriu, durante sessão ordinária na Assembleia Legislativa, nesta terça-feira (31), que o Estado convoque os segmentos da sociedade para atuarem nas ações de combate à violência, entre eles, a Igreja.

“O atual modelo não funciona. O problema da violência não será resolvido com a polícia, que atua na crise para conter ou apurar uma situação quando alguém já foi vítima. O combate à violência começa no núcleo familiar e é preciso convocar os diversos segmentos, entre eles a Igreja, uma vez que independente da religião, os entes religiosos estão presentes em toda a sociedade”, disse Kelps.

O deputado falou sobre os números do anuário que traz dados de 2016 e destacou que 2017 já registra aumento da violência em torno de 25% em relação ao ano anterior. “Devemos fechar o ano como o Estado mais violento do país. Com a maior taxa de homicídios de 2017”.

Kelps Lima reforçou que é preciso apresentar sugestões de ações políticas e sociais para combater à violência. Para ele, uma parceria com a OAB e conceitos de diversas profissões deveriam se envolver para combater a violência na base. “A qualidade da Saúde, da Segurança e da Educação estão diretamente relacionadas à violência”.

Anuário do Fórum Brasileiro de Segurança Pública

O Brasil registrou 61.619 mortes violentas intencionais, como assassinatos, em 2016, maior volume absoluto já registrada no país. As maiores taxas foram registradas em Sergipe (64 a cada 100 mil habitantes), Rio Grande do Norte (56,9) e Alagoas (55,9).

Márcia Maia destaca índice de violência nas escolas do RN

Os alarmantes índices de criminalidade no Rio Grande do Norte voltaram a pautar o pronunciamento da deputada Márcia Maia (PSDB) durante sessão plenária na Assembleia Legislativa. Nesta terça-feira (31), a parlamentar lamentou os números apontados pelo 11º Anuário Brasileiro da Segurança Pública e destacou dados referentes à violência no âmbito escolar do Rio Grande do Norte.

“A publicação mostra que 537 profissionais da educação sofreram ameaças de seus próprios alunos nas escolas. 308 professores foram vítimas de furto e 92 sofreram roubos mediante ameaças. Esses profissionais clamam por melhores condições de segurança pública dentro e fora das escolas, com policiamento e iluminação adequadas no entorno das unidades escolares”, alertou Márcia.

A deputada também comentou o índice de homicídios no Estado, que aponta para um média de sete assassinatos por dia, e disse que neste ritmo os números já caminham para os piores já registrados na história do RN. De acordo com Márcia, a insegurança tem impactado negativamente em outros setores. “Na Educação, vê-se a violência dentro e fora da escola. Na Saúde há registros de violência nos hospitais. Na Economia, o número de assaltos e roubos aos empreendimentos comerciais levam ao seu fechamento. A insegurança impacta na vida de toda a sociedade”, argumenta Márcia.

A parlamentar defendeu a efetivação de políticas públicas sociais de prevenção à violência e cobrou providências do Executivo Estadual para a implementação de uma “cultura de paz” nas escolas. “O Governo precisa traçar uma linha de planejamento para que possamos construir uma política de cultura de paz dentro da rede pública de ensino, e que haja articulação com as demais políticas sociais”, concluiu a deputada.

ALRN

Publicidade:
Centro Odontológico Eudson