Arquivo de abril de 2017

Era uma vez em Assú (Washington Araújo)

Postado por José Regis Souza em 30/abr/2017 - Sem Comentários

ASSU antigo 1112

Havia um céu que nos protegia. Havia uma louca da cidade que longe de nos causar medo, todas as pessoas a adoravam e se chamava Doninha.

Havia festas todas as semanas no clube Municipal e se chamavam tertúlias.

Tinha em Zé do Bar os melhores cachorros quentes da cidade. E tinha o Bar Boleta e o Bach Chopin. Tinha gente nas calçadas e nem eram necessárias câmaras de vigilância.

Todos fins de tarde dava gosto ver o casal Gena e Nelson Montenegro caminhando até nossa casa, trinta ou cinquenta metros apenas, ele assoviando alguma valsa como ‘Branca’ ou ‘Lábios que beijei’ e ela conversando com seu cãozinho de nome Dayán porque tinha um sinal negro em um olho e lhe lembrava o general israelense Moshe Dayán que usava uma venda no olho direito. Tinha alfinins em junho.

A tevê era novidade e quando saía só som sem imagem era para Edzés que a cidade inteira acorria. Tinha os famosos táxis da cidade, o mais tradicional era o de Arnaud Abreu, pessoa boníssima e muito querida por todos e tinha os táxis que faziam a linha diária Assu/Natal/Assu – os de François e de Camburão.

Tinha festa de debutantes e churrascos fartos para quem passava no vestibular em Natal. Tinha Zelinha Tavares puxando as mais belas cirandas que um humano poderia apreciar naqueles tempos. Tinha os grudes, raivas e suspiros quentinhos vendidos durante a tarde por dona Martinha. Tinha Chisquito com seu paletó de linho branco que até o século passado lá no campo ‘inda era flor. Tinha Barão esporeando seu cavalo. Tinha os animados banhos nos tanques do Baldum e no pequeno açude da fazenda Novo Mundo. Tinha reuniões do Lions Clube e da Maçonaria. Tinha em junho o jornalzinho de fofocas – ‘A Mutuca’ circulando. Tinha Solonzinho vendendo suas Flor-do-Vale ainda quentinhas é muito disputadas.

As brigas de marido e mulher corriam a cidade inteira. Uma destas dava conta de um jovem casal em que a mulher por não achar lugar melhor para esconder o revolver do marido colocou-o na geladeira, no congelador, entre caçambas de gelo. E lá ficou duas semanas! Outra de mulher que foi ‘pastorar’ o marido entrar no motel com a amante.

Tinha recepção festiva no CNSV para Gena Montenegro quando, em 1972, foi eleita para a Academia de Letras do RN. Tinha visita de Frei Damião na cidade e a cidade vivia suas romarias de fiéis. Tinha uma chuvinha qualquer e já se dizia que era inverno na cidade. E dos bons. Tinha a Adega do seu Lacerda com aqueles inesquecíveis banhos embaixo dos imensos pilares da ponte. Tinha o ‘Majó’ Montenegro, imperador absoluto do Reino da Picada. Tinha famosos banhos de tanque no Farol. Tinha boias feitas de cameras de pneus de caminhão com gente em cima se divertindo nas geladas águas do açude do Mendubim. Tinha um belo casal de namorados: Zezinho Abreu e Aninha de Dr. Nelson Inácio dos Santos.

Tinha a voz acolhedora e tão afinada de Laura Alves. Tinha gente que por ostentar ter dinheiro era logo chamado doutor. Tinha o humor sagaz, permanente, inteligente e oportuno do grande prefeito Golinha.

Tinha professores excelentes como dona Auri, Lurdinha de Mané Calixto, Josélia, Rubian, Deú e Nanã Pimentel, doutor Noé, Severino Bôinho, Baco, dona Helena Antonow Centeno – gaúcha e também a mais linda professora que um dia pôs os pés na calorenta mas hospitaleira cidade.

Tinha concurso para se escolher a mais bela voz do Vale no Instituto Padre Ibiapina. Tinha o Colégio Estadual e o Ginásio Pedro Amorim. Tinha vaquejada e suculentas comidas de milho verde nas barraquinhas. Passava ‘Eu transo, Ela transa’ com Sandra Brea no Cine Theatro Pedro Amorim. Tinha nos velhos recreios do CNSV os Novos Baianos cantando ‘Preta, pretinha’.

Tinha passeatas dos verdes bacuraus e dos vermelhos fechadores, com Olavo e Edgard Montenegro disputando décadas a fio e benquerença do povo de Assu.

Tinha as moças que fugiam de casa, sinal que os pais não aprovavam seu namoro, passavam a noite fora com o namorado, e geralmente se dizia que se mandavam pras bandas do rio Assu e fato é que, no dia seguinte, logo corria a notícia, sempre com as tintas de escândalo, dando conta ‘que a fugitiva iria se casar de imediato’.

Tinha Padre Canindé, possesso, vociferando sermões com promessas do fogo do inferno pra toda gente mais chegada a uma fofoca, ou a unas cem mil maledicências.

Tinha Cecéu Amorim fazendo quase tudo com um braço só que mais parecia que tinha era uns quatro braços, tipo aquelas divindades hindus que vim a conhecer em Nova Delhi, na Índia, muitos anos depois.

Tinha jogo de voleibol no CNSV nas velhas tardes de sábado e domingo de uma cidade em que a juventude nada tinha pra fazer à tarde. Tinha a rádio de Cabassis (Herval Tavares) que possuía apenas um alto falante estridente operado pelo ‘mago véio’ Hermes e que quebrava o belo silêncio da velha cidade e azucrinava a conversa de todo mundo.

Tinha as velhas famílias que quando morria o pai ou a mãe vestiam-se preto em luto fechado por todo um ano mesmo naquele clima infernal.

Tinha um rábula chamado Lou que se fosse francês seria chamado filósofo e se vivesse no século XIX seria amigo de Nietzsche. Tinha enterros dramáticos como o de Baco com a cidade aturdida cantando ‘A Viagem’, cumprindo assim um dos últimos pedidos do jovem que atentou contra a própria vida e que era querido por todos.

Tinha um grupo de escoteiros comandado por Padre Canindé e por Bibito.

Tinha quatro farmácias principais na cidade – a de Horacinho Cunha, a de João Branco, a de Pedro e a Continental, de Zé Diógenes. Tinha o posto de gasolina de um velhinho magricela chamado Ricarte Legítimo.

Tinha um cantor de vozeirão que nada sabia de inglês, mas só gostava mesmo era de cantar em inglês – “Baby desce daí se não tu morre”. Seu nome? Mané Raposa. Tinha o Café Semar vendido ali na avenida João Pessoa.

Tinha blocos de carnaval levados a sério: Selenistas, Foliões, Futuristas, Abutres, Ki-chêcho. Tinha o lendário Chico Branco (mas qual cidade não tinha o seu Chico Branco?).

Tinha desfiles de 7 de setembro muito concorridos com cada colégio e escola rivalizando na qualidade do uniforme, no ritmo da marcha, na música executada pela banda.

Tinha as lojas Varieté, Pérola, Corália calçados, Betty’s boutique, Loja de Oscarzinho.

Tinha um colégio que formava todas as novas gerações de assuenses afluentes: o sempre bom CNSV, a quem devo tudo o que aprendi na vida.

Tinha o afetado e ótimo fotógrafo Teté, espécie de Denner Pamplona, divertido jurado do Programa Flavio Cavalcanti com o seu “é um luxo!”.

Tinha venda de senhas para bailes com Alerta 5, depois Sui Generis, Impacto 6, Os Vips.

Tinha a cidade toda fissurada nas gravações do filme ‘Jesuíno Brilhante, o cangaceiro romântico’, dirigido pelo assuense William Cowbett, filme onde Solonzinho era juíz, Pedro Cícero de Oliveira, dono de mercearia e os casal principal era os famosos Vanja Orico e Leonardo Villar, além de Rodolfo Arena, de ‘O Ébrio’. Tinha Joricene da Receita, Adonias da Coletoria, Edmilson da Cooperativa, Geraldo Dantas do BB, Amarílio do INSS. Tinha os mistos que faziam a linha Assu/Carnaubais/ Assu de Zé de Anna e do Zezinho do Misto.

Tinha a matriarca que determinava quem fazia parte da sociedade assuense e quem não. Tinha a miss mais bonita do nordeste brasileiro: Zuíla Ramalho. Tinha os médicos da cidade: Fernando Rosendo, Nelson Inácio dos Santos, Benvenuto Gonçalves, Noé Rogério da Costa, Gileno Cachina Bezerra, Roberto Rufino de Magalhães, Alexis Pessoa, Doutor Sales, Pedro Dantas.

Tinha milhões de lacerdinhas entrando nos olhos de todo mundo que passeava na praça Getúlio Vargas. Tinha o salão de beleza de Lilita e Verinha. Tinha em cada casa mais remediada um tapete de couro de vaca estendido no chão da sala de visita.

Tinha o homem mais rico da cidade, o boa pinta e eterno solteirão Tião Diógenes.

Tinha Purueca pedindo a bênção a dona Gena Montenegro e ela respondendo toda feliz “Deus te abençoe meu lindo!”. Tinha a velha tipografia de Cabralzinho. Tinha a praça da Carnaubinha.

Tinha o riso farto e camarada do bom Zézinho André. Tinha o americano bonachão David Knoll incendiado pela ideia de produzir frutas para exportação em todo o vale do Assu.

Tinha Roque perambulando pela cidade e com duas bolsas de palha, uma para receber donativos e outra, furada para colocar os ‘perdoe” que recebia.

Tinha a fábrica de mármores da Simwal. Tinha o cartório de Agenor. Tinha quadra de futebol de salão defronte à matriz de São João Batista antes que o prefeito construísse ali o tal famoso ‘buraco do Prefeito’.

Tinha grandes canecas de chope de bailes do Lions Clube em cima da geladeira. Tinha gente engraçada como Papachina. Tinha a Leão dos Tecidos de Neide Almeida.

Tinha as beatas e carolas dona Ofélia e Donatila para defender a cidade inteira dos pecados de todos os tipos.

Tinha Renato Caldas inspirando a juventude em sua boêmia madrugada afora.

Tinha Xanduzinho todo paramentado de bispo em sua mini-catedral toda estilosa encravada ali no início da rua Manoel Montenegro.

Tinha carnavais inesquecíveis com lança-perfumes, rainhas do carnaval e Edmilson como eterno rei Momo.

Tinha toda a comoção de uma cidade em prantos, inconsolada, com a partida precoce do muito benquisto Oswaldinho Amorim, o pioneiro e grande pensador do potencial agrícola do Vale do Assu.

Mas o melhor de tudo era que todos os que amávamos estavam ainda vivos, muito vivos. Eles já se pareciam eternos porque pressentiam que eram, na verdade, simplesmente eternos, sabiam que o tempo passaria por eles sem lhes diminuir o brilho e beleza de suas vidas. Sou de minha infância como se é de uma cidade. E nessa cidade-infância quando se saía desta vida se entrava no tempo que não tinha início nem fim – no vasto tempo do encantamento.

Sim, era uma vez em Assu.

(Washington Araújo)

REGIStrando

Lava Jato fez de 2018 uma loteria sem prêmio

Postado por José Regis Souza em 30/abr/2017 - Sem Comentários

PlanaltoValterCampanatoAgBrasil

Escolha sua metáfora para o desafio que o eleitor brasileiro enfrenta na sua tarefa de escolher o próximo presidente da República. Jogar numa loteria sem prêmio talvez seja a descrição mais sintética e adequada. O Datafolha divulga neste domingo dados paradoxais sobre Lula. O governo do pajé do PT é visto como o mais corrupto por 32% do eleitorado. Embora supere até a gestão de Fernando Collor no quesito roubalheira, Lula ampliou sua liderança na corrida presidencial. Jair Bolsonaro, defensor da ditatura militar, cresceu e divide a segunda colocação com Marina Silva.

Quer dizer: o eleitor brasileiro oscila entre o ‘rouba, mas faz’ e o ‘dane-se’. Ou, por outra, o eleitorado se divide entre o lamentável e o impensável. Faltam 17 meses para a disputa presidencial. Uma pesquisa feita com tanta antecedência vale mais pelo que sinaliza do que pelos percentuais que exibe. E o Datafolha sinaliza duas coisas: 1) A Lava Jato desconstruiu a conjuntura política. Gente poderosa tornou-se impotente. 2) Falta matéria-prima para erguer sobre os escombros algo que não se pareça com um novo desastre.

Há cadáveres demais na lista de candidatos. Entre os zumbis estão os tucanos Aécio Neves e Geraldo Alckmin, reduzidos a um dígito. Considerando-se que Lula pode virar um ficha-suja antes de ser formalizado como candidato, o cenário de terra arrasada favorece o surgimento de demagogos. Por ora, quem mais se parece com uma versão nacional de Donald Trump é Bolsonaro. Como alternativas à aventura, há Marina Silva ou o caos —que muita gente acredita ser a mesma coisa. Corre por fora o prefeito paulistano João Doria, que aparece numericamente à frente do padrinho Alckmin.

Livrando-se de uma condenação, o que parece cada vez mais improvável, Lula será o principal adversário de si mesmo. Numa ponta da pesquisa, ele lidera as intenções de voto. Na outra ponta, Lula disputa com o tucano Aécio Neves o título de campeão da rejeição. E ainda está na alça de mira de dois novos delatores —Antonio Palocci e Renato Duque. Moído pela Lava Jato, não terá senão a alternativa de apoiar um outro nome. Se Lula optar por Ciro Gomes, do PDT, pode alçá-lo a um terceiro lugar na pesquisa. Nessa hipótese, a menos que surja alguma novidade, o eleitor ficaria entre o lamentável, o impensável e o imponderável.

Josias de Souza

Morre o cantor e compositor Belchior aos 70 anos

Postado por José Regis Souza em 30/abr/2017 - Sem Comentários

belchior-(2)

O cantor e compositor Belchior morreu em casa, neste sábado, em Santa Cruz do Rio Grande do Sul, aos 70 anos. O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) chegou a ser chamado para socorrer o artista, mas ao chegar ao local ele já estava sem vida. A causa da morte ainda é desconhecida. O corpo deve ser trazido para a cidade de Sobral, no Ceará, ainda neste domingo, onde deve acontecer o sepultamento.

Antônio Carlos Gomes Belchior Fontenelle Fernandes adotou o nome artístico de Belchior. Ele ficou famoso em meados da década de 1970, quando se firmou como um dos primeiros cantores nordestinos de MPB. Ele nasceu em Sobral (CE) no dia 26 de outubro de 1946.

Com uma carreira longa, ele lançou mais de 20 discos. Entre suas músicas de sucesso estão: “Apenas um rapaz latino americano”, “Como nossos pais”, que ficou famosa na voz de Elis Regina, e “Divina comédia humana”.

Belchior era casado com a produtora artística Edna Prometheus.

Ceará decreta luto

O governador do Ceará Camilo Santana decretou luto de três dias pela morte do cantor. Em uma rede social, ele divulgou uma homenagem ao artista.

“Recebi com profundo pesar a notícia da morte do cantor e compositor cearense Belchior. Nascido em Sobral, foi um ícone da Música Popular Brasileira e um dos primeiros cantores nordestinos de MPB a se destacar no país, com mais de 20 discos gravados. O povo cearense enaltece sua história, agradece imensamente por tudo que fez e pelo legado que deixa para a arte do nosso Ceará e do Brasil. Que Deus conforte a família, amigos e fãs de Belchior. O Governo do Estado decretou luto oficial de três dias”, lamentou.

EXTRA

7º ANIVERSÁRIO DO MOVIMENTO DO TERÇO DOS HOMENS DE PATAXÓ

Postado por José Regis Souza em 30/abr/2017 - Sem Comentários

t2

t1

t3

Aconteceu na manhã deste domingo (30/04), em nossa Comunidade de Pataxó, um momento de muita fé e alegria, reunindo diversos grupos do Movimento do Terço dos Homens de várias cidades, para prestigiar e comemorar junto conosco os 7 anos de existência do nosso grupo.

Neide Lopes

A cada 4 horas, uma pessoa é assassinada no RN

Postado por José Regis Souza em 30/abr/2017 - Sem Comentários

hom

A cada quatro horas, uma pessoa é assassinada no Rio Grande do Norte. A conclusão é uma média simples, a partir da distribuição dos 801 homicídios registrados nos primeiros 125 dias de 2017, segundo o Observatório da Violência Letal Intencional do RN (Obvio)

Os números são inéditos na história da segurança pública estadual. No mesmo período do ano passado, as mortes foram 613. A diferença, portanto, é de um aumento de 30,6%.

Para a secretaria estadual de Segurança Pública, os números refletem os resultados da atividade criminosa, já que 62% dessas mortes são de pessoas ligadas a atividades criminosas.

A região metropolitana de Natal agrega mais da metade dos casos, com 468 homicídios. Em números absolutos, Natal lidera com 220.

Por Dinarte Assunção

Portal no Ar

Vacinação contra febre aftosa começa em 22 estados a partir desta segunda-feira

Postado por José Regis Souza em 30/abr/2017 - Sem Comentários

Vacinao

Meta é imunizar, em um mês, 198 milhões de animais do rebanho do país de 217,5 milhões

Na próxima segunda-feira (1º), a vacinação contra a febre aftosa começa em 22 estados e no Distrito Federal. A meta do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) é imunizar 198 milhões de bovinos e bubalinos durante todo o mês de maio. O número representa mais de 90% do rebanho do país, de 217,5 milhões de cabeças.

Todos os animais deverão ser vacinados, exceto os dos rebanhos do Acre, Espírito Santo, Paraná e São Paulo, que nesta etapa vão imunizar apenas animais com de até 24 meses. Parte dos estados do Amazonas e do Pará, além de Rondônia e Roraima, já começou a imunização entre março e abril.

Segundo o diretor do Departamento de Saúde Animal (DSA) do Mapa, Guilherme Marques, os pecuaristas deverão buscar a maior cobertura vacinal possível para que o Brasil cumpra todas as ações previstas no Programa Nacional de Erradicação da Febre Aftosa (PNEFA). “A retirada gradual da vacina vai começar somente a partir de 2019. Até lá, todo o cronograma segue inalterado.”

Devem vacinar o rebanho os criadores do Acre, Alagoas, Bahia, Ceará, Distrito Federal, Espírito Santo, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Piauí, Rio de janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Roraima, São Paulo, Sergipe, Tocantins. No Amazonas, a vacinação será feita em Guajará e Boca do Acre, partes dos municípios de Canutama e Lábrea. No Pará, serão todos os municípios, exceto Faro, Terra Santa e arquipélago de Marajó. Em Rondônia, que começou a imunização em 15 de abril, a campanha vai até 15 de maio.

imprensa@agricultura.gov.br

Prefeitura do Assú inicia liberação da folha de pagamento de abril

Postado por José Regis Souza em 29/abr/2017 - Sem Comentários

pagamento

Depositados na sexta-feira, dia 28, já estão disponibilizados para uma expressiva parcela dos servidores públicos municipais de Assú os recursos relativos à folha de pagamento de abril corrente. O crédito foi anunciado pela secretária municipal de Finanças, Ceiça Barbosa, ressaltando que, desta forma, a administração aproxima-se cada vez mais do objetivo prioritário definido pelo prefeito Gustavo Soares: restabelecer a pontualidade da folha de pessoal, desestabilizada desde a gestão anterior (dezembro/2016).

O desembolso dos servidores públicos municipais contribui de forma determinante para incrementar a atividade econômica do município e região. A folha de pessoal da Prefeitura do Assú este mês injeta uma dotação da ordem de R$ 3,5 milhões, declarou a auxiliar do Poder Executivo.

Segundo informação da secretária de Finanças, o aporte financeiro liberado contempla os funcionários dos 10% e 40%, Creche Infantil e Pré-Escola, da Secretaria Municipal Educação e Cultura; Secretaria de Assistência Social, Trabalho, Cidadania e Habitação; Secretaria de Saúde (exceto PSF-Média e Alta Complexidade e três setores administrativos da Secretaria); e, demais Secretarias (exceto Governo). Ceiça Barbosa explicou que, a priori, a complementação da folha se dará dia 10 de maio, mas poderá haver antecipação deste calendário.

Prefeitura Municipal do Assú

Secretaria de Comunicação e Ouvidoria

RONALDO SOARES HOJE NO REGISTRANDO

Postado por José Regis Souza em 29/abr/2017 - Sem Comentários

R18

A partir das 11h através da rádio Nova 89 FM de Assú, em conexão com a rádio Salinas 55.5 FM de Macau, o programa REGIStrando estará entrevistando ao vivo o ex-prefeito de Assú, Ronaldo da Fonseca Soares.

A apresentação será dos comunicadores, Van Fernandes e José Regis.

Para ouvir ao vivo via internet, clique: http://nova89.com.br

José Regis de Souza

REGIStrando

Cidade de Jucurutu tem retorno ao Mapa do Turismo Brasileiro 2017 e consegue assento no Conselho do Polo Turístico Seridó

Postado por José Regis Souza em 29/abr/2017 - Sem Comentários

Prefeito Valdir Medeiros acompanhado de equipe administrativa.Foto.Divulgação

De uma administração passada que não teve a importância,quando deixou a cidade de Jucurutu ter sido excluída do Mapa do Turismo Brasileiro,no ano de 2015,além de ter saído do Conselho do Polo Turístico Seridó,contando com ausência de não participar de reuniões e pela falta de documentação.

Entre o passado de abandono por falta de não querer,talvez desenvolver o turismo na cidade de Jucurutu,a gestão passada deixou de gerar empregos,rendas e de poder atrair um novo desenvolvimento.

O passado de todos esses acontecimentos ficaram apenas registrados nos anais da história de Jucurutu,quando no dia de hoje,a cidade de Jucurutu,com uma nova visão de responsabilidade,administrada pelo gestor Valdir Medeiros,fez sua defesa e conseguiu a aprovação de seu retorno ao Mapa do Turismo Brasileiro 2017,além de ter sido reavido o seu assento junto ao Conselho do Polo Turístico Seridó.

As duas conquistas já são frutos de uma gestão que nasceu de um novo ponto de vista amplo,onde desde os primeiros dias,da gestão do Prefeito Valdir Medeiros,o turismo está dentro de suas prioridades primordiais para alavancar o desenvolvimento econômico da cidade de Jucurutu.

E uma das bases para essa premissa,várias ações foram tomadas no sentido de mostrar todas as potencialidades turísticas e geo turística ,bem como a sua gastronomia, hospedagens, manifestações culturais ,religiosas e históricas ,belezas naturais ,turismo de aventura e de lazer,turismo de eventos e os potenciais geológico e arqueológico,existentes em Jucurutu.

A Oficina de Atualização do Mapa do Turismo Brasileiro foi realizada na cidade de Caicó,capital do Seridó no estado do Rio Grande do Norte.

Dentre as cidades participantes, além de Jucurutu, citamos Parelhas, Florânia, Caicó, Currais Novos, Cerro Corá, Serra Negra do Norte, Acari, Lagoa Nova, Carnaúba dos Dantas e Grossos (convidada).

Segundo o Prefeito de Jucurutu,Valdir Medeiros “O retorno de Jucurutu como tora do turismo no Polo Turístico Seridó e ao Mapa do Turismo Brasileiro favorecerá a cidade,pois ações já estão sendo tomadas para dar mais visibilidade ao município que tem um grande potencial para o Geo turismo e está inserida na região Seridó,cujo nome já é forte como marca”,enfatizou o jovem gestor jucurutuense.

Já o Secretário Chefe do Gabinete Civil,Ranieri Almeida,ressaltou “Jucurutu tem potencial geo turístico,geológico e arqueológico enorme e pouquíssimo explorado.A cidade entra,definitivamente,em um ciclo que é constante e dinâmico no qual,com a implantação das políticas certas,gerará riquezas e desenvolvimento para as comunidades,além de gerar emprego e renda.

Em adição,começaremos a fazer o mapeamento dos geossitios para integrar Jucurutu no conceito Geoparque,bem como o inventário Turístico do Município,através de parcerias que estão sendo firmadas com a Universidade Federal do Rio Grande do Norte(UFRN) e também com o Geoparque Seridó”,disse ele.

Na próxima reunião do Pólo Turístico Seridó, a cidade de Jucurutu tomará posse de seu assento e apresentará um vídeo institucional que será produzido o qual fará uma síntese dos pontos fortes do Município para o Turismo, de modo geral e mais amplo.

A volta de Jucurutu ao Mapa do Turismo Brasileiro, além de dar mais visibilidade ao Município como destino turístico também facilita a captação de recursos federais junto ao Ministério do Turismo.

Para o Secretário Municipal de Esportes e Turismo,Francinilson Batista,que esteve fazendo a defesa oral do Jucurutu à rota do Turismo “O momento é de muita alegria e comemoração,pois Jucurutu nunca deveria ter saído desses dois conselhos,mas com esforço e dedicação conseguiremos traçar estratégias para revermos nosso lugar.Assim,todo um trabalho foi realizado entre as secretarias de Esporte e Turismo e Gabinete Civil para que conseguíssemos,de forma objetiva e realista,reaver nosso espaço.Agora vamos criar e implementar as políticas necessárias para as coisas começar a acontecer”,frisou o secretário.

Entre as pretensões da gestão do Prefeito Valdir Medeiros é transformar a cidade de Jucurutu em uma cidade turística,mesmo apesar de um árduo trabalho que a equipe administrativa,está mostrando-se bastante empenhada em avançar no desenvolvimento turístico desse Município de paisagens exuberantes, gastronomia de referência e artesanato de destaque em toda a região.

Salomão Medeiros

Prefeitura do Assú discute parcerias com instituições federais de ensino superior

Postado por José Regis Souza em 29/abr/2017 - Sem Comentários

PREF

O prefeito Gustavo Soares discutiu parcerias com as universidades federais (UFERSA-Universidade Federal Rural do Semi-Árido e UFRN-Universidade Federal do Rio Grande do Norte) nas áreas de educação, tecnologia e meio ambiente. O encontro ocorreu na quinta-feira, dia 27, no gabinete do chefe do Executivo, e contou com a presença do assessor administrativo do IMD-Instituto Metrópole Digital, da UFRN, Carlos Zamir Araújo, e o secretário executivo de Infraestrutura, Nuilson Pinto, além de membros da equipe administrativa.

Um dos pontos abordados foi sobre parcerias na área ambiental voltadas para saneamento e reciclagem. Através da Secretaria de Educação e Cultura também foram debatidas parcerias para a contratação de estagiários do IMD/UFRN e a implantação do projeto Smart Metropolis que visa a concepção e desenvolvimento de métodos, técnicas e ferramentas de suporte ao desenvolvimento e implantação de aplicações de serviços integrados a serem oferecidos por cidades inteligentes.

Na avaliação de Carlos Zamir, “são parcerias que representam ganhos tanto para o município como para as universidades. Poderemos pensar em iniciativas de pesquisa e extensão que promovam a formação prática dos nossos alunos e possam trazer benefícios diretos à sociedade”. O prefeito Gustavo Soares manifestou receptividade à proposta de interação de esforços com as instituições, destacando que “nossa administração está de portas abertas ao diálogo em torno de intenções que se façam presente de forma positiva para o município”.

Foto: Marcos Costa/Assessoria

Prefeitura Municipal do Assú

Secretaria de Comunicação e Ouvidoria